Que fique claro. Eu não sou PETISTA! Não sou do PT. Minhas convicções políticas não tem nada a ver com o que o PT fez.

Precisamos e devemos ter como horizonte, transformações maiores, verdadeiras rupturas com o capital, e não essas migalhas que o governo do PT distribui nesses anos, nos contentarmos com esse populismo de estado de bem-estar social

Mas, meu Deus, essas pessoas que estão nas ruas não vêm o quanto o Brasil melhorou? Não dá pra negar.

Dentro do que é possível dos alicerces do capital e sociedade de consumo, e sistema político brasileiro e heterogeneidade do nosso povo, melhoramos demais.

Lula e Dilma nesses anos fortaleceram a democracia, aumentaram a distribuição de renda, selaram pactos internacionais para garantia de direitos humanos, e dentro das limitações do capital e lucro, aos pouco estamos a caminho de um país mais justo.

A economia vai muito bem, assim a burguesia dona do capital se sente bem, porém reclamando como sempre.

Então, de fato, não entendo o extremo ódio ANTI LULA. Ou é burrice, ou é má fé. Maldade da classe média. Oportunismo. Não sei. Francamente, tento entender, mas está difícil de traçar um perfil decente ou minimamente coerente dessa gente.                                                                                 

Quem está na rua quer revolução? Nem vou entrar no mérito da inviabilidade disso, pois daria uma dissertação de mestrado.

Mas negar um governo que melhora a vida dos pobres, que prima por melhorar a qualidade de vida nos subúrbios brasileiros e, pela primeira vez na história deste país, mesmo que indiretamente,  contribuiu para a instituição de uma CPI cujo objetivo foi investigar corrupção dentro do próprio partido; ao menos, dos lideres deste. É má fé, que se confunde com fascismo. Oportunismo, falta de caráter. Só pode. Essa pessoa não leu privataria tucana, não sabe sobre sistemas políticos, não sabe sobre sistemas econômicos e capitais, é um zoombie, gritando na rua contra o preço do Playstation e Kinder Ovo. É inocência? Não é. Apartidarismo rema contra as bases da democracia.

Os proprietários dos meios de produção, estão descontentes. É plausível dentro de uma perspectiva histórica do Capitalismo. Eles  sempre querem mais. Querem lucrar mais, querem sugar mais o trabalhador, se estivéssemos refém deles, não teríamos direitos trabalhistas, tributação, não teríamos as mínimas garantias dignas de um ser humano. Teríamos apenas lucro. Cada um por si.

A pequena burguesia e classe média tradicional desse país é lamentável. Não é burrice, nem inocência. É maldade. Essas aberrações sociais que odeeeeiam o Lula e a Dilma, e chamam todos os Petistas de Petralhas bandidos, não se conformam em ter que registrar a empregada doméstica. Não se conformam com a maior distribuição de renda que o país teve. Não se conformam que a desigualdade diminuiu, não se conformam com politicas públicas de inclusão ao negro e ao índio no sistema educacional.  Quanto mais os pobres parecem pobres e miseráveis, maior a ilusão de riqueza ignóbil de consumismo absoluto e alienado. Dessa gente eu tenho nojo, eu tenho medo, e não me misturo com eles nas ruas.

Por Patricia Bianco

julho 3, 2013

Que fique claro, eu não sou Petista

Que fique claro. Eu não sou PETISTA! Não sou do PT. Minhas convicções políticas não tem nada a ver com o que o PT fez. Precisamos […]